segunda-feira, abril 26, 2004

Velhos Tempos

Enviaram-me este mail e não pude deixar de partilhá-lo convosco. Indubitavelmente dá muito gosto ler palavras como estas. Recordar aqueles tempos, em que vivíamos com a responsabilidade única de passar mais um dia em cheio, com os amigos da rua ou os colegas da escola, a jogar à bola até à exaustão, ou então andar atrás da miúda mais gira lá da escola, à espera de uma beijoca no "bate pé", é o bastante para aliviar o stress de mais um dia trabalhoso. Deliciem-se como eu me deliciei...

"nós que...acabávamos os trabalhos de casa à pressa para ir jogar à bola perto de casa.
nós que...éramos obrigados ao "guarda redes avançado" ou a "quem 'tiver perto defende".
nós que...obrigados a "guarda redes avançado" perguntávamos "e passar de meio campo vale?"..."sim,vale tudo!".
nós que...quando se faziam as equipas se fossemos escolhidos em primeiro sentiamo-nos verdadeiramente incriveis,os mais fortes de todos.
nós que...sendo escolhidos por último estávamos destinados a ir à baliza.
nós que...tínhamos sempre um apelido de um jogador importante para nos sentirmos mais fortes.
nós que...quem chegar primeiro aos 10 vence!
nós que...fingíamos nao ouvir as nossas mães a chamar quando começava a ficar escuro e depois havia sempre alguem que dizia "quem marcar ganha!" mesmo que o resultado tivesse 32-1.
nós que...vivemos o terror das botas caneleiras.
nós que...com uns adidas nos pés sentiamo-nos mais fortes que o PELÉ.
nós que...tinhamos aqueles outros tenis sem marca que alem de nao durar nada faziam ficar com os pes com bolhas...
nós que...sonhavamos com aquelas bolas lindas que viamos na televisao mas contentavamo-nos com o que houvesse.
nós que...percebiamos o sentido das camisolas alternativas quando viamos na Tv a preto e branco jogos como o boavista-moreirense.
nós que...os unicos tenis de marca so os levavamos em dias de festa e nem pensar em dar um chuto em qualquer coisa,senao era castigo certo por parte da mãe.
nós que...não nos podíamos sentar em cima da bola senão ela ficava meloa.
nós que...tínhamos de deixar jogar o dono da bola mesmo que fosse uma nulidade e nem quisesse ir a baliza.
nós que...nao precisávamos de barra nem de imagens virtuais para perceber se tinha sido golo ou nao, "golo ou penalty" punha todos de acordo.
nós que..."falta um posso jogar?"..."epa nao sei,a bola nao e minha..."(no caso do pretendente ser um mau jogador).
nós que..."posso entrar?"..."sim,se encontrares um par,porque assim ficamos com um a menos".
nós que...reconhecíamos os jogadores sem ser preciso ter os nomes nas camisolas.
nós que...o nº1 era o guarda redes,o 2 e 3 os laterais,o 4 era o trinco,o 5 era o defesa central e o 6 o libero,o 7 medio direito,o 8 medio centro,o 9 o avançado,o 11 o outro medio possivelmente do lado esquerdo e o 10 com uma faixa no braço era o organizador e capitao porque era o mais forte de todos.
nós que...para um jogador entrar na seleçao nacional devia fazer no minimo 2/3 temporadas a alto nivel.
nós que...os estrangeiros eram no maximo 2 por equipa e conheciamo-los a todos.
nós que...dormiamos com os autocolantes da panini debaixo da almofada.
nós que...quando abriamos os saquinhos esperavamos de nao encontrar aqueles jogadores suplentes eternos que nunca jogavam.
nós que...viamos jogadores como o caccioli e nelo que pareciam mais velhos que os nossos pais.
nós que...o futebol so viamos ao domingo a tarde e as quartas nas competiçoes europeias,nao todos os dias e a qualquer hora que as televisoes decidem.
nós que...se recordamos do domingo desportivo sem as fantochadas de agora e sem os programas com tres ou quatro "entendidos" tip seara cardoso e santana lopes.
nós que...praticamente nao viamos publicidade durante os jogos.
nós que...nao viamos patrocinios em tudo o que e espaço nas camisolas,calçoes,meias,...
nós que...íamos ter com a melhor amiga da rapariga de que gostávamos e dizíamos "pergunta se ela quer andar comigo" e ela no outro dia respondia "ela disse que ia pensar..." e depois pensava durante uma semana...
nós que...faziamos aqueles bilhetes do "queres andar comigo? sim...não...talvez...
nós que...as balizas eram feitas com os nossos casacos ou com as mochilas.
nós que...estávamos sempre todos a horas nos locais combinados sem ajuda de telemóveis e aldrabices.
nós que...mesmo vivendo um pouco longe uns dos outros,saíamos sempre de casa com a esperança de encontrar os amigos ja na proxima esquina com a bola debaixo do braço para irmos jogar.
nós que...aulas era mentira porque tínhamos de jogar e praticar muito para o torneio da escola onde iríamos impressionar as nossas "amadas". "

segunda-feira, abril 12, 2004

Surrealismo


Este é um ano especial. Surrealista. Comemora-se este ano o centenário do nascimento de um artista genial. Salvador Dali. Deixo-vos um link para a página on-line sobre as actividades que se estão a realizar pelo mundo em homenagem a esse grande mestre e fica também outro site experimental de navegação surrealista no mínimo interessante.

quarta-feira, abril 07, 2004

Para ouvir II



"Porque é de "tempo" que falamos, fica, desde já, a sugestão de uma boa fuga dele ouvindo Time Out, a experiência que o Quarteto de Dave Brubeck fez em 59 pela História do Jazz e que veio a tornar-se numa obra maior do estilo, tornando-se no segundo disco mais vendido de Jazz até aos dias de hoje.

Neste álbum, Brubeck ao piano e Desmond ao saxofone, submetem o Jazz a uma fusão com a designada música erudita, onde se apropriam das suas técnicas de composição e consolidam o que viria a designar-se por third stream - a terceira via estilística do Jazz.

Ao som do tantas vezes ouvido mas nem por isso conhecido Take Five, considerada uma das 100 melhores músicas americanas, ou do envolvente Blue Rondo a La Turk, esboçado durante um passeio em Istambul; partam à descoberta de nova música. Apurem o ouvido à decoberta dos padrões de acordes únicos, das mudanças de ritmo ou do diálogo instrumental, sentido o que muitos afirmam ser o tal swing."


no Jur.nal de Dezembro.

terça-feira, abril 06, 2004

Descontraiam..


Se quiserem um pouco de descontracção e um bom momento musical cliquem aqui!

Gerações

Há uns dias atrás após longa discussão com um grupo de velhotes, velhotes não, desculpem, "jovens-que-já-cá-estão-a-mais-tempo-que-eu" lembrei-me de um email que tinha recebido à uns tempos e que vinha mesmo a calhar para contrapor os argumentos apresentados como pessimistas em relação à actual juventude (a que está cá a menos tempo...). Aqui vai:

..."Falando sobre conflitos de gerações o médico inglês Ronald Gibson começou a conferência citando quatro frases:

1 - "A nossa juventude adora o luxo, é mal-educada, despreza a autoridade e não tem o menor respeito pelos mais velhos. Os nossos filhos são verdadeiros tiranos. Eles não se levantam quando uma pessoa idosa entra, respondem aos pais e são simplesmente maus"

2 - "Não tenho mais nenhuma esperança no futuro do nosso país se a juventude de hoje tomar o poder amanhã, porque essa juventude é insuportável, desenfreada, simplesmente horrível."

3 - "Nosso mundo atingiu seu ponto crítico. Os filhos não ouvem mais seus pais. O fim do mundo não pode estar muito longe."

4 - "Essa juventude está estragada até o fundo do coração. Os jovens são malfeitores e preguiçosos. Eles jamais serão como a juventude de antigamente. A juventude de hoje não será capaz de manter a nossa cultura."

Após ter lido as quatro citações, ficou muito satisfeito com a aprovação que os espectadores davam às frases. Então, revelou a origem delas:

- a primeira é de Sócrates (470-399 a.C.)
- a segunda é de Hesíodo (720 a.C.)
- a terceira é de um sacerdote do ano 2000 a.C.
- e a quarta estava escrita em um vaso de argila descoberto nas ruínas da Babilónia e tem mais de 4000 anos de existência."...

No fundo o que eu espero é que todos nós façamos parte desse futuro e que construamos um mundo mais justo e uma sociedade melhor. Quando deixar de acreditar nisto, aí sim, ai podem-me chamar velho...