quarta-feira, janeiro 30, 2008

"Um empreendedor não se faz, mas FAZ-SE"

É óbvio que não há receitas milagrosas, caso contrário já a maioria dos cidadãos seria empreendedor, porque a generalidade dos jovens adoraria sê-lo. E nem todos podem sê-lo por várias razões, sendo que genericamente tenho dito que é preciso PODER SÊ-LO e de seguida assumir QUERER SÊ-LO.

O PODER SÊ-LO tem muito a ver com condições naturais genéticas, quer do ponto de robustez física, herança intelectual e uma propensão para educação permanente e uma atitude filosófica de gostar da surpresa, curiosidade intelectual, propensão para questionar, “engendrar”. É ainda preciso ter fé, atitude desportiva para entender que perder num dia significa continuar a tentar para conseguir sucesso mais adiante.

QUERER SER empreendedor significa fazer opções essenciais no domínio do balanço entre actividades profissionais, desportivas, familiares para evitar ser uma pessoa estranha, isolada na vida. Não pode ser um eremita estranho nos comportamentos, isolado num convento ou laboratório. A diversidade de vivências é um elemento essencial para que de repente, “caia do céu” uma solução ou quase solução. Às vezes é quase um só sinal (a maçã a cair da árvore) para que muitos sacrifícios e estudos anteriores, de repente, façam sentido para encontrar uma lei (teoria da gravidade, ou lei da correlação da massa e energia).

O empreendedor nunca é derrotado para sempre e espera sempre pelo tal “click” que, de repente, junta várias ideias próprias, ou de outros, e é capaz de transformar tais ideias num produto, ou processo, ou novo serviço.

É então que começa uma outra fase normalmente solicitando outros saberes nas áreas organizativas, design, marketing, etc... Só então é que poderá dar-se a passagem do inovador para o empreendedor, e, posteriormente, atingir o objectivo fundamental, de, com risco, se assumir como empresário por conta própria.

Para terminar e comentando o título que me foi dado, direi que um empreendedor não se faz, mas FAZ-SE.

Este meu contributo tem mais a ver com aquilo a que chamo pequenas e médias inovações incrementais, e menos com as chamadas inovações disruptivas em que o uso de estatísticas, poderosos laboratórios, pacientes repetições de ensaios, em ambientes universitários e laboratórios de universidades ou grandes empresas são quase condições indispensáveis.

Sonhar, saber esquecer, gostar de aprender, ter paciência para repetir, ousar, arriscar, partilhar é o caminho para ter sucesso numa vivência equilibrada do uso do tempo e da vida.


Belmiro de Azevedo

Vencedor do Prémio “Ernst & Young Entrepreneur Of The Year 2006”
(Chairman Sonae S.G.P.S. e CEO Sonae Capital)

in Jornal de Negócios

segunda-feira, janeiro 28, 2008

OS INCORRIGÍVEIS

Para quem gosta de um dia a dia com humor aqui fica o site OS INCORRIGÍVEIS!
Ricardo Araújo Pereira, Bruno Nogueira, Zé Diogo Quintela, Herman José e um convidado semanal, dão em cada dia da semana respectivamente, mais uma razão para rir...

domingo, janeiro 27, 2008

marar.Eu (www.marar.eu)


Aproveito aqui este "canto" para divulgar um projecto recém nascido e cheio de força, através do qual se pretende levar "um pouco de loucura saudável" à vida de empresas, escolas, universidades, grupos de amigos, famílias, enfim... onde haja vontade de crescer, aprender, através de jogos e divertimento (e do qual tenho muito orgulho fazer parte).

Vejam o site do projecto e caso estejam interessados ou simplesmente achem piada, divulguem esta marca! Existe um portfólio de jogos e actividades que podem pedir, caso estejam interessados.

A Marar já tem no seu curriculum actividades para o IST-Taguspark, Novabase e para PriceWaterhouseCoopers, queres fazer parte?

Este projecto nasceu originalmente da ideia de partilhar com outros universos a magia que acontece nas actividades da Candeia, onde pretendemos desenvolver emocional, racional, física e espiritualmente crianças e jovens através da animação, jogos e partilha.

Afinal de contas, quem é que não sente falta de um pouco mais de loucura na sua vida?

EXPIAÇÃO



Uma história simples de desencontros e pequenos encontros. A vida não define por si só quem encontramos ou quem insiste em passar ao lado dos momentos marcantes. Somos nós que criamos oportunidades e em expiação as oportunidades insistem em perder-se porque todos os intervenientes deixaram a vida arrastar-se por tempo a mais. Um filme que relata momentos decisivos, que se seguem de desencontros, de verdades e mentiras, de amores e paixões. Peca pelo início lento na evolução da história, mas o fim original e emocionante compensa. Um filme que relata uma história de sonhos, que não passaram de sonhos, porque os intervenientes ao longo da vida insistirem em adiá-los!

Como curiosidade ficam fotos de um postal que aparece no filme: o postal da casa de Eastbourne. Aquele local existe, com aquela casa, com aquela magia. Fica no sul de Inglaterra, passei lá numa das minhas viagens de fim de semana quando estive em Londres. Ficam as fotos e a recomendação de passaram lá. Vale a pena a viagem! Eu vou voltar!



domingo, janeiro 13, 2008

Já deixei de ser criança...

"Pelo céu às cavalitas,
Escondi nos teus caracóis,
A estrela mais bonita, que eu já vi

Eu cresci com um encanto,
De ser caçador de sóis,
Eu já corri tanto, tanto para ti

Fui um príncipe encantado
Montado nos teus joelhos,
Um eterno enamorado, a valer

Lancelot de algibeira,
Mas segui os teus conselhos
Para voltar à tua beira
E ser o que eu quiser

Os teus olhos foram esperança
Os meus olhos girassóis
Fomos onde a vista alcança da nossa janela

Já deixei de ser criança e tu dormes à lareira
Ainda sinto a minha estrela nos teus caracóis

Os teus olhos foram esperança
Os meus olhos girassois
Fomos onde a vista alcança da nossa janela

Já deixei de ser criança e tu dormes à lareira
Ainda sinto a minha estrela nos teus caracóis

Os teus olhos foram esperança
Os meus olhos girassois
Fomos onde a vista alcança da nossa janela

Já deixei de ser criança e tu dormes à lareira
Ainda sinto a minha estrela nos teus caracóis"

Ala dos Namorados - Caçador de Sóis

quarta-feira, janeiro 09, 2008

Mais palhaços

Sinopse
O Curso de Palhaço pretende desenvolver como trabalho principal o Autoconhecimento. A aprendizagem deste curso passa por um processo de desaprendizagem mental, ou seja, pela desconstrução consciente dos padrões de comportamento e de reacção repetitivos da mente humana. A observação desses padrões é estimulada através de exercícios orientados, onde cada um é levado a observar o que sente e o que se processa no seu interior diante de um público – espaço esse de partilha de sentimentos através do olhar, na tentativa de encontrar o "Eu" verdadeiro capaz de se rir de tudo aquilo que mais o perturba.

Estrutura do Curso
De 12 Fevereiro a 1 Abril de 2008, Terças das 20:00 às 22:30
Haverá uma parte prática com sessões todas as semanas e uma parte teórica (de reflexão) que acontecerá quinzenalmente a 14 e 28 de Fevereiro e 13 e 27 de Março)

Para inscrições ou informações, contactar:
Telefone: 21 8879739
E-mail: cfac 'arroba' atla.pt

Alguns temas abordados
. Dinâmicas de Grupo (jogos de confiança, imitação e exagero)
. O Medo da Exposição em Público – a Observação Consciente
. Desinibição, Imitação e Confronto
. Honestidade e Sinceridade
. Vulnerabilidade e Responsabilidade
. A Estupidez e o Ridículo
. Fracasso e Sucesso
. Níveis de Emoções
. Improviso
. Reflexão Meditativa
. Desenvolvimento Espiritual

segunda-feira, janeiro 07, 2008

Frustrações :)

Todos temos as nossas frustrações, não sei se será essa a palavra ideal, mas é uma que dá uma ideia.

Uma das que eu tenho, se bem que não me chateia assim tanto hehehe, é não ter conseguido AINDA que os meus amigos e todas as pessoas de quem eu gosto se arrisquem a experimentar o Landmark.

Claro que somos todos diferentes e aprendemos coisas semelhantes em sítios com experiências diferentes, mas aquilo é tão fixe!!! :D Enfim fica aqui mais um vídeo que espelha um pouco dessa magia...

sábado, janeiro 05, 2008

Ridículo... ridículo

Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo,
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
Eu, que tenho sido cómico criadas de hotel,
Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
Eu que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado,
Para fora da possibilidade do soco;
Eu que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu que verifico que não tenho par nisto neste mundo.

Toda a gente que eu conheço e que fala comigo,
Nunca teve um acto ridículo, nunca sofreu um enxovalho,
Nunca foi senão - príncipe - todos eles príncipes - na vida...

Quem me dera ouvir de alguém a voz humana,
Quem confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.

Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Ó príncipes, meus irmãos,
Arre, estou farto de semideuses!
Onde há gente no mundo?
Então sou só eu que é vil e erróneo nesta terra?

Poderão as mulheres não os terem amado,
Podem ter sido traídos - mas ridículos nunca!
E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear?
Eu, que tenho sido vil, literalmente vil,
Vil no sentido mesquinho e infame da vileza.


Fernando Pessoa / Álvaro de Campos

quarta-feira, janeiro 02, 2008

Serviço Público

Para quem esteja interessado em querer, ou não querer, conviver com o fumo fica aqui um roteiro para fumadores.

Tive a ideia de criar um, enquanto não me liberto da droga, mas assim dá muito menos trabalho:
http://apdeites2.cedilha.net/?p=770

Podem complementar o roteiro:

Em 2008...

...eu torço por vocês ;)